segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Situação Preocupante. Matéria deste blogueiro. Essa Matéria fiz em 2015 para o Jornal, Mas hoje continua atual mais do nunca.


abandono tanto no âmbito Municipal como Federal

                                                                                                   
Nestes dias em conversas com alguns colegas, com quem confabulei e ouvi várias constatações sobre o nosso município. Diziam eles que às vezes nos esforçamos em uma direção, temos idéias, vontade de resolver problemas crônicos que vem acontecendo há anos. Faltam oportunidades, lembramos que há décadas atrás, a maior fonte de emprego era nossa Prefeitura e falamos isso com certa decepção, hoje vemos que as madeireiras são as quem geram empregos em nossa terra, apesar da maioria ser trabalho braçal, pois temos carência de empresas privadas que ofereçam empregos. Isto leva as pessoas que nasceram aqui, a decepcionar-se e buscar outros horizontes, pois seus conhecimentos não são aproveitados em sua terra natal.
É Constrangedor, nós termos uma população carente de emprego e não vimos um futuro promissor e perspectiva de que isso seja rapidamente resolvido pelas autoridades competentes, para que São José do Norte venha a melhorar neste aspecto para que nossos jovens, que são maioria, não fiquem a mercê dessa situação de forma que não se indignem e descubram caminhos mais doloroso para si e sua família, pois a ociosidade os leva a pensar que suas vidas não valem a pena, pois estudaram para um futuro profissional melhor e as oportunidades não aparecem, o que afeta socialmente e mentalmente, pois fizeram planos para suas vidas e têm sonhos, desejos que gostariam que fossem realizados.
Quando vão à luta para conseguir emprego e aí começam as injustiças. O trabalho em uma cidade como a nossa é indicado politicamente ou por alguns mais favorecidos financeiramente e assim fica difícil para uma classe que se vê com qualificação profissional perder vagas para outras sem qualquer preparo, mas foi indicado por seu fulano, por essas coisas que nos dói, ver conterrâneos irem embora de seu seio familiar, em busca de novas perspectivas, já que sua terra não o acolheu, e foi levar seus conhecimentos a outras fronteiras.
Realmente, fica impossível conviver com essa situação, mas acredito que nossos políticos estão atentos em tentar trazer empresas para nosso município, para que não ocorra esse tipo de desabafo e que todos tenham oportunidades em sua terra natal. Não precisando arriscar o seu bem estar em outras querências. Como mudar este panorama nós não sabemos, mas os políticos saberão resolver esta situação preocupante. Mas com que está aí,a olho nus  observado dos políticos. será que os mesmo lutarão pelo povo ou por seu bem estar , já que nada se vê dos mesmos. isto realmente e preocupante. muitas licitações e pouco empregos para os mais necessitados e principalmente para quem estudou para uma melhor situação de vida.



                                                                 PÉ NA BOLA

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

A validade da política e do partido

A durabilidade de 15 ou no máximo 20 anos para tendências, instituições e até para o regime de governo é uma constante na vida política brasileira. Desde a proclamação da República, no encerrar do século 19, a volatilidade é presente. A própria República foi um golpe e seus proclamadores logo sofreriam outros golpes, com o poder mudando de mãos dentro do próprio grupo. O regime de 1930 durou 15 anos e, quando voltou pela via do voto, Getúlio acabou levado ao suicídio. Sua morte, que teria ocorrido para evitar a deposição, seguiu-se de um período atribulado, onde houve golpe e contragolpe para garantir a posse de Juscelino Kubistchek, que sufocou vários levantes durante seu governo. Jânio renunciou no sétimo mês de governo e Jango, depois de muito contratempo, acabou deposto em 64. O próprio regime de 64 teve de abrir-se para a anistia em 1979, embora resistisse até 85. A chamada Nova República perdeu sua força junto com o Plano Cruzado, onde Sarney pretendeu acabar com a inflação por decreto. Na sua sequência veio Collor e seu confisco, que acabou no “impeachment”. O vice Itamar Franco, feito presidente, criou o Plano Real e serviu de base para a era FHC, de oito anos, já decorrente do naufrágio do antigo e vanguardista PMDB. A seguir veio Lula, com seus dois mandatos e popularidade nunca antes vista num governante ao encerrar seu período. Tanto que do seio do seu próprio governo nasceu e tornou-se vitoriosa a candidatura de Dilma. Surgido na esteira do grito por liberdade, na virada dos anos 70/80, o Partido dos Trabalhadores ascendeu e desde 2003, governa o país e exerce o poder sobre os outros partidos que formam sua base de sustentação. É daí que lhe vem um dos maiores problemas: o mensalão. O processo ora em julgamento no Supremo Tribunal Federal apura o denunciado desvio de dinheiro público para a aplicação na compra de votos dos parlamentares da base aliada. Ninguém, em sã consciência, é capaz de, a essa altura, prever quais os reflexos disso tudo para a imagem e o desempenho do partido. Os acontecimentos na campanha eleitoral de São Paulo, onde o tucano histórico José Serra perde em desempenho, pode representar mais do que seu declínio eleitoral. A leitura correta pode estar no final do prazo de validade do próprio partido, que também enfrenta problemas em outros pontos do país. E o PT, nascido em 80, mas verdadeiramente decolado nos anos 90, também tem de colocar suas barbas de molho em relação à obsolescência política historicamente vivida pelo País. Mais do que as feridas do mensalão, o peso da idade política poderá ser demasiado sobre sua estrutura e torná-lo tão inválido quanto as outras agremiações que já estiveram no poder. Prazo de validade de 15 a 20 anos. Eis a questão... As forças da sociedade precisam se manter atentas ao inexorável relógio político-institucional do País, que funciona acima de regime, partidos ou ideologia. Quem ignorá-lo, certamente, ficará fora do processo.

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Como e bom , falar o que se sente perante as pessoas, em primeiro lugar a verdade.

Bom dia a todos Que de vez e conta dão uma visualizada no blog de joaowaldirpenabola.blogspot.com. Que Deus os abençoe a todos neste meio de semana.




Você está a bordo de um novo dia.

Diga: bom dia, dia!
Bom dia, vida!
Bom dia, sensibilidade!
Bom dia, fé!
Bom dia, coragem!
Bom dia, talento!
Bom dia, trabalho!
Bom dia, alegria!
Bom dia, felicidade!
Bom dia pra você!

Tem muita coisa boa para você aproveitar.
Há sensações que vem de dentro e que precisam ser colocadas para fora.
Há sensações que vem de fora que precisam ser interiorizadas.

Esteja aberto e pronto para emitir sinais. E também para captar o que está no ar.
Se o caminho que você planejou é muito longo, não se desespere com a distância que ainda falta para chegar.
Concentre-se no próximo passo. Ou mesmo no primeiro passo.

Hoje você pode começar algo novo que vai levá-lo muito longe.
Inicie algo hoje nem que seja uma mudança.
Se você resiste a mudanças tenha ao menos desculpas novas para dar pelo que você deixa de fazer.

Tenha atitudes simples, mas honestas.
O início de qualquer coisa nova para sua evolução, pessoal, espiritual ou profissional, começa aí dentro de você, silenciosamente, enquanto organiza seus pensamentos para mais um dia.
Está no ar uma nova manhã... Um novo dia... Uma nova semana


                   Mensagem- Pé na bola

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Mentes premeditadas . Matéria deste blogueiro



Como é difícil intuir a mente das pessoas. Quando achamos que conhecemos determinado indivíduo o mesmo nos surpreende usando de artifícios que nós já mais esperávamos de uma pessoa que vive praticamente diariamente ao seu redor expondo seus pontos de vista, mas infelizmente o que acontece é que somos limpos por dentro e falamos o que pensamos, mas o indivíduo maliciosamente nos usa automaticamente, porém com o tempo todos nós percebemos, enquanto o mesmo usa todo ensinamento ao qual estabelecemos em conversas longas para seu benefício próprio sem se preocupar se vai patolar uma amizade de décadas, não é fácil! Também se fosse fácil, este artigo não sairia, pois acho que até posso compreender este tipo de pessoa claro que deixa ressentimentos, mas felizmente isso nós traz mais atenção em relacionamentos que antes eram significantes, mas de repente surge uma amizade ao qual nós consideravas-mos incapaz de ressentimentos esta aprendizagem nós traz sabedoria de não gerar outros aborrecimentos que até então eram banais mas infelizmente existe pessoas que destrói um bom relacionamento por vaidade besta que logo ali verão que usaram barreiras intransponível para alcançar objetivos que não os levaram a nada e sim desconfiança sobre seu caráter e seu procedimento de ser e se repararmos vamos verificar os desatinos destas pessoas a convivência com os outros sempre conseguirão e certamente surgirão novas inimizades

                                       Pé na bola

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

O Poder foi feito para pouco, pois pessoas são vaidosa e acham que esse poder dura pela vida toda parecem que não sabem que estão ali por circunstância e sendo as vezes manipuladas por quem tem interesse que o mesmo tenham esse poder circunstânciall. Matéria deste Blogueiro

Poder é para pouco Observando o modo como certas pessoas se comportam perante aqueles que, obtém “poder” de momento, e utilizam todas as arte-manhas para conseguir ser notado, isto é, nos causa indignação, mas eles usam artifícios que sinceramente nós não entendemos e nem compreendemos, como aquelas tais “batidinhas nas costas”, “patrãozinho, chefinho” e outros adjetivos que só esse tipo de pessoa possui e ficamos analisando e as vezes nos pegamos a tirar algumas conclusões, quem tem o “poder” parece gostar desse tipo de gente, pois enche seu ego por comandar e ver-se rodeado de paparicação. O “poder” de muitos sobe rapidamente à cabeça, até por falta de personalidade, sabem que estão no meio de pessoas inescrupulosas, mas gostam. Uns até devem ter curso de pós-graduação, são capazes de serem ridículos para alcançar as suas metas, mesmo sabendo que de momento e que não possuem condições de estarem ocupando o espaço, mas com seu poder de persuasão acham que têm alguma coisa, mas na realidade são somente cínicos. No meio em que vivemos isso tem valor, pois os poderosos mandam e os subordinados nunca dizem não, ficam dizendo “sim senhor”, “o senhor tem razão”, são verdadeiros oportunistas de plantão, na realidade são uns inconseqüentes para tirar proveito próprio, passam por cima de qualquer um que tiver em seu caminho, sem se importarem com o mal que estão fazendo aos outros, que estão ali simplesmente para fazer o seu trabalho. Para os outorgados que utilizam o “poder” mesmo sem condições e se acham o máximo, sua vaidade vai até quando encontra alguém capaz de questioná-los e testar realmente os seus conhecimentos, ai eles se retraem no outro dia, mesmo sabendo da qualificação do outro, que é puro e não tem maldade está fora. Infelizmente se vê muito no cotidiano de nosso convívio com a sociedade, uns ainda usam o interesse e outros a sua vaidade que chega ao extremo. Nós sabemos que o “poder” poucos sabem usar com altivez, com parcialidade, não induzir, não usar para benefício próprio. Isso tem que parar, pois dessa maneira estaremos sempre a mercê de alguns que usam o momento por serem inconsequentes.

                                                              Pé na bola

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Não confunda jamais conhecimento com sabedoria. Um o ajuda a ganhar a vida; o outro a construir uma vida.




                                         

                                                         O Valor da Amizade


                                     Você já parou para pensar sobre o valor da amizade? 

Às vezes nos encontramos preocupados, ansiosos,
em volta há situações complicadas, nos sentindo meio que perdidos, mas somente o fato de conversarmos com um amigo, desabafando o que nos está no íntimo, já nos sentimos melhor, mesmo que as coisas permaneçam inalteradas. 

Quantas vezes são os amigos que nos fazem sorrir quando tínhamos vontade de chorar, mas a sua simples presença traz de volta o sol a brilhar em nossa vida. 

A simplicidade das brincadeiras pueris, da conversa informal,
momentos de descontração que muitas vezes pode ser numa conversa rápida ao telefone, no vai e vem do dia ou da noite,
no ambiente de trabalho ou de escola, enfim, em qualquer lugar a qualquer hora. 

Entretanto, não existe só alegria, amor, felicidade nesta relação que como em qualquer outro relacionamento,
passa por crises passageiras, por momentos intempestivos, abalos ocasionais.

Ainda que tenhamos muito carinho pelo amigo em questão,
às vezes por insegurança, por ciúme, por estarmos emocionalmente alterados ou nos sentindo pressionados, 
acabamos sendo injustos com ele e isso pode ser recíproco.

Podemos comparar esse elo de amizade ao tempo que passa por alterações climáticas constantemente, mas é dessa forma que aprendemos a nos conhecer, compartilhar momentos, que se desenvolve uma amizade.

Diante do amigo somos nós mesmos, deixamos vir à tona nossos pensamentos a respeito das coisas, da vida, nos mostramos como verdadeiramente somos.

Há amigos que nos ensinam muito, nos fazem enxergar situações que às vezes não percebemos o seu real sentido, 
compartilham a sua experiência conosco, nos falam usando da verdade que buscamos encontrar.

São eles também que nos chamam a razão, chamando a nossa atenção quando agimos de modo contraditório, que nos dizem coisas que não queremos ouvir, aceitar, compreender.

Ao longo de nossa vida muitos amigos passam por ela e nos deixam saudade, mas também deixam a recordação de tudo que foi vivido.

É na amizade verdadeira que encontramos sinceridade, lealdade, afinidade, cumplicidade, simplicidade, fraternidade.

Amigos são irmãos que a vida nos deu para caminhar conosco ao longo da nossa jornada espiritual, extrapolando os limites do tempo, continuando quando e onde Deus assim o permitir.

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

O exemplo mais enfático e nossa Política?





O estágio evolutivo em que se encontra a humanidade, o da civilização, mostra que, no processo, o regime da força, dos instintos animalescos, foi substituído pelo da astúcia. Procura-se a vitória utilizando-se máscaras, que escondem a verdadeira personalidade do seu usuário. Assim se porta a maioria da nossa sociedade e o exemplo mais enfático é o da nossa classe política. Com honrosas exceções, o que se esconde por trás da beleza das máscaras com que se apresentam os nossos políticos?
A arte de se mascarar, historicamente marcante no carnaval de Veneza, pode ser tomado como emblema para a astúcia do atual estágio evoluti-vo do homem civilizado. A máscara tem sido a sua principal arma para conquista de seus objetivos, nem sempre confessáveis. Na sociedade tem sido apenas uma arma para esconder fragilidades de personalida-des. A evolução, através da espiritualização, vai nos mostrar por inteiro, como de fato somos. 

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Viver a sua vida como se não houvesse amanhã .



A vida é tão curta
Ela passa e nós vemos
Quanto tempo perdemos

Nada mudou ainda continuamos
Como sempre fomos
Será que tudo continua
Como sempre foi
Tudo o que eu fiz
Ou o que ainda vou fazer
Espero nunca me arrepender

Tudo o que você sempre acreditou
E todas coisas que eu nem sei porque
Eu nunca acreditei

Mais nada, nada vale a pena se não souber aproveitar
Viver a sua vida como se não houvesse amanhã

Ninguém sabe, se o que sonha irá alcançar
Mas eu sei
Que sempre irei lutar

Pra chegar, onde nem eu imaginei
Conquistar as estrelas e os planetas
Colocar minha bandeira no mais alto lugar
Onde ninguém possa me alcançar


quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

O que este Blogueiro pensa sobre Política. Matéria Deste.


Por que se assiste a esta decadência moral de indivíduos que não mais respeitam as leis do País? O que está ocorrendo para que este mal tenha conquistado tantos adeptos? A pergunta é pertinente quando autoridades e governantes se aliaram para conquistas de altos cargos que acabam beneficiando-os sem serem punidos pelo mal que causam à nação e aos brasileiros. Os países europeus estão sofrendo graves problemas estruturais que muitos atribuem à decadência dessas nações ricas pelas facilidades encontradas no apoio de suas metas e enriquecimento, embora sejam ilícitos em suas ações de governabilidade. Todos sabem que o conceito de moralidade tem duas dimensões, uma no plano privado, outra no plano público. No entanto, o homem tem uma vida melhor e independente através da educação, da experiência, do instinto de aprender, de ensinar, de ser um cidadão honesto e possuidor de uma moral ilibada e sem mancha. Nenhuma pessoa pode ser racional e livre sem ter uma vida espiritual que transcende às tentações de se apossar dos bens alheios. Todos sabem e conhecem o que é bom e o que é mau para o homem, no entanto, ele prefere buscar o caminho mais fácil da traição ao se esconder das contraprovas que poderiam condená-lo pelos crimes praticados. Esta decadência moral pela crescente corrupção na sociedade, mormente, em órgãos públicos, assusta-nos a ponto de se imaginar que o País está longe de pensar e de refletir que os brasileiros estarão salvos desse mal crônico de roubalheira nos cofres públicos da nação. 
Quem viu o Fantástico ontem viu o que e roubo, por isso o povo não recebe uma aposentadoria justa, o Salario dos trabalhadores uma vergonha, mas os políticos corruptos alem de receber um alto salários ainda tão um desfalque. aí eu pergunto quando o salario minimo tem aumento os mesmo dizem que isso vai causar um caos nas contas do País. Brincadeira. desses que dizem nos representar.                                                        

                                                  Pé na bola

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Saudades do Futebol Praiano.Matéria deste Blogueiro Para o Jornal Agora de Rio Grande e Jornal do Norte.





Que tudo na sua vida seja claro como a luz do sol, livre como as borboletas, especial como o amor... e abençoado por Deus!. Futebol comenta-se, fala-se e pouco se faz, na minha modesta opinião poderíamos usar a palavra “LEAD” que vem da frase “To lead the war”, que em comunicação, procura responder cinco perguntas básicas. O que? Quem? Como? Quando? Onde? Pergunto-me por que passam anos e os dirigentes de clubes de futebol, ficam sempre na expectativa, sobre como será o campeonato quanto a sua fórmula, quando vai iniciar, quem será o Diretor da DME, o local da DME, quais as medidas que o Diretor vai tomar para a realização do campeonato no sentido de tornar a competição mais eletrizante, mais disputada e mais atrativa financeiramente para as agremiações participantes. Há algum tempo estive em uma reunião na Câmara Municipal de Vereadores, que acontece nas segundas e terças-feiras, quando um vereador governante falou que o Poder Público não poderia realizar grandes obras por falta do retorno de ICMS, que não veio como esperado, devido às frustrantes safras de cebola e camarão, onde os preços dos produtos ficaram defasados demais, inclusive por falta de ofertas das empresas compradoras do crustáceo. Para terminar com esta apreensão em que vive nosso glorioso futebol amador, tanto de campo como o salonismo e também o futebol de praia que deixou de existir, fico a imaginar, porque nossos comandantes maiores não criaram uma secretária de esportes e turismo, mas com verbas específicas para as praticas esportivas, assim acabaria com a desinformação que vem ocorrendo nos últimos anos. Não devemos nos enganar, o futebol movimenta e trás retorno financeiro para o Município, pois sabemos que o comércio fica aquecido durante as competições principalmente as distribuidoras de Bebidas, bem como os comércios locais, como nossos restaurantes que recebem turistas vindo de outras querências para prestigiar nosso futebol amador e conhecer as belezas de nossa Terra, além disso, os Clubes compram produtos nos comércios locais, e muitas vezes acertam com os atletas por materiais de construção, eletrodomésticos, comprados em nosso comércio ocasionando assim um aumento de receita para o Município. Reclamam de receitas, mas vejam o que o futebol faz circular em nosso Município e o retorno é imediato, pois quanto mais vendermos, mais impostos serão arrecadados, e o custo é tão pequeno, pois já existe uma secretaria inoperante como a do Turismo que serve exclusivamente para acomodar CCS e gerar despesas para os cofres públicos, pois nada é feito de incentivo ao turismo em São José do Norte, porém poderiam aproveitar ao menos e fazer um trabalho no intuito de incentivar nosso futebol amador e demais práticas esportivas, já que nossos jovens estão se perdendo na marginalidade, e no alto consumo de drogas, mas se tivessem incentivo ao esporte poderiam sim, sobreviver procurar um caminho saudável, na busca de uma grande formação. Nosso Município é abençoado, temos uma praia extensa e não vejo realização se quer de um campeonato de praia, de vôlei de praia onde somos campeões, também cito nosso píer onde inúmeras pessoas pescam esportivamente inclusive o Diretor da DME, que poderia criar no calendário esportivo um campeonato de pesca em nosso píer, isso sim seria muito interessante, mas falta vontade por parte do Poder Público, mas infelizmente temos que conviver com essa rotina, e com nossos clubes cada vez mais falidos, e com certames deficitários. PÉ NA BOLA.

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

Arroz de leite ou arroz doce

INGREDIENTES : Enviada por Veronica Piamolini Tempo de preparo 25min Rendimento 6 porções Imprimir receita Conversão de medidas Imprimir lista de compras Enviar receita por email 1 litro de leite 1 xícara arroz 2 xícara água 1 xícara açúcar 1 gema 2 cravos 1 pedaço canela em casca 3 colheres açúcar(sopa) MODO DE PREPARO Coloque o arroz a cozinhar com a água , quando a água secar adicione o leite e misture a canela e o cravo, logo o açúcar, deixe cozinhar por uns 15 minutos até o arroz ficar macio Bata uma gemada com a gema e as 3 colheres açucar, até a gemada ficar esbranquiçada, adicione no arroz de leite e deixe cozinhar por mais 1 minuto, desligue o fogo Está pronto Como quente ou frio

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Democracia ou anarquia. Matéria deste blogueiro




O momento que nós povo brasileiro estamos vivendo é um pouco estranho, pois já não sabemos onde vamos parar com esta Democracia, está que muitos brasileiros lutaram para conquistá-la, porém, hoje o estamos assistindo um desmando das pessoas que tanto lutaram para o surgimento da Democracia. Inescrupulosos assumem o poder decepcionam com tanto desvio de verba, e ficam impunes, até parece que virou rotina, pois não sofrem nenhuma punição, enquanto nós ficamos a perguntar até quando. Será que estes escândalos em que estamos vivenciando no Brasil não serão averiguados com vigor penal ou constitucional. Vivemos em um País que a renda é mal distribuída, as Leis não são cumpridas com vigor para uns, e severas para aqueles que não possui fórum privilegiado, vejamos, por exemplo, o cérebro do mensalão, o maior escândalo da sociedade brasileira nos últimos tempos, foi condenado a pagar apenas dois salários mínimos e dois anos de serviço comunitário, isso é justo, ou seja, roubar, desviar dinheiro pelas cuecas e pegar uma pena como esta é justo perante nossa sociedade. Certamente se fosse um pobre ou um negro, seria condenado a 29 anos de prisão, mas este é o Brasil em que vivemos cheio de pessoas corruptas, também, estamos assistindo no Estado do Rio Grande do Sul um roubo aos trabalhadores que sonham em tirar sua CNH, por supostos esquemas do Detran com empresas terceirizadas estavam lesando os trabalhadores gaúchos, rodando-os propositalmente os mesmos para gastarem mais com nova prova para conquistarem o CNH, esquema esse inclusive que envolve até a Governadora e Deputados, isto é Democracia ou Anarquia? O TSE liberou para concorrer novamente ao Senado o ex Presidente da República Fernando Collor de Mello, um dos maiores gatunos que este País já presenciou, pois roubou os trabalhadores brasileiros, juntamente com seus mentores Zélia Cardoso de Mello e Paulo César Farias, estes saquearam o dinheiro da aposentadoria de nossos trabalhadores, onde muitos deles não puderam se aposentar, isto é uma vergonha, e mais vergonhosa ainda foi atitude dos Ministros do TSE, ao dizerem não se importar com o passado dos candidatos, é vergonhoso, pois ladrão comprovado não poderia mais ser votado pelo povo, mas infelizmente vivemos em uma Democracia que desejamos, mas não a Democracia que sonhávamos, pois esta se tornou anarquista onde os poderosos sempre levam vantagem, e ao povo resta apenas se curvar diante da vontade dos deuses do dinheiro. 

                                Pé na bola

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

O Minimo eles anunciam dois anos antes o deles é sigiloso brincadeira que país nós vivemos


Senado decide não divulgar salários de funcionários Para diretora-geral da Casa, vencimentos dos servidores devem ser uma informação protegida Agência Estado BRASÍLIA - O salários dos servidores do Senado estão a salvo da Lei de Acesso à Informação Pública. A mesa diretora aprovou nesta quarta-feira, 16, um ato que regulamenta o processo de acesso às informações produzidas pela Casa, mas a diretora-geral do Senado, deixou claro que o Senado vê o vencimentos dos funcionários como uma informação protegida. "A questão salarial individual é uma questão que tem apoio legal para não ser divulgado", afirmou, alegando a existência do sigilo bancário para que o Senado não forneça os dados. De acordo com a diretora, a estrutura salarial da Casa já está disponível na Internet. No entanto, essa estrutura não revela os salários reais dos servidores, sempre engordados com gratificações e outros penduricalhos a ponto de vários passarem do teto do funcionalismo público. Uma lista revelada em agosto do ano passado pelo site Congresso em Foco mostrou que 464 servidores do Senado recebiam, em 2016, acima do teto da época, de R$ 24,5 mil mensais - inclusive Servidores recebendo,  um salário então de R$ 27.215,65. Havia funcionários recebendo até R$ 46 mil mensais. Nada indica que algo tenha mudado. O ato aprovado nesta quarta-feira pela mesa apenas regulamenta a maneira como os cidadãos terão acesso às informações produzidas pelo Senado. Um comissão com representantes de todas as áreas que produzem documentos foi criada para analisar que tipo de classificação eles terão. A resposta terá que ser dada em 30 dias. Nesse meio tempo, a prioridade será dada para informações pedidas que não estejam hoje disponíveis. Um balcão será criado para que os interessados peçam dados do Senado. Se estiverem já abertos, a orientação é que a resposta seja dada na hora. Se não, o interessado pode preencher um formulário e esperar a resposta do órgão responsável. Foi definida ainda a estrutura de recurso. Se uma informação é negada pelo órgão responsável mas o requerente não concorda, pode pedir a reconsideração à Diretoria Geral da Casa, que fará uma nova análise. "Quisemos deixar as coisas o mais simples possível. São apenas duas instâncias", explicou o diretor Senado. De acordo com a diretora-geral, o Senado já responde a 80% das informações pedidas.

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

O passado Merece registro. E.C. Bojuru



O E.C. Bojuru, da localidade do Terceiro Distrito de São José do Norte, foi fundado no ano de mil novecentos e quarenta e dois (1942), sendo quatro vezes campeão municipal nos anos de 1965/1969/1983/1999.
No ano de 1983, aconteceu um fato curioso no elenco da equipe, o atleta Nedilandi Loureiro (NEDINHO), que era ala virou centroavante e foi o goleador daquele ano.
O Bojuru decidiu o título em seu Estádio, por sinal, um dos melhores do Município, porém perdeu a partida em seus domínios para o Bento Gonçalves F.C. por 2x1 ( dois a um), mas como havia vencido a partida na Chácara das Camélias por 2x0 (dois a zero), gols anotados por Ivanci e Jair Machado, sagrou-se campeão municipal de 1983.


Foto: Em pé: Rochinho, Airton, Ivanci, Orlando Paladino, Abé, José Adão (durinho)
Agachados: Nedinho, Geraldino, Jomar, Gilnei, Jair Machado. Tec. Joãozinho Paladino.


PÉ NA BOLA.

sábado, 28 de janeiro de 2017

Liberal e seus fundadores em 1933 Liberal. Rebuscado por esse Blogueiro.













Liberal F.C. Fundado em 1933
Presidente: José Teixeira.

Em primeiro lugar quero homenagear os fundadores do Liberal F.C.que com muita eficiência criaram esta agremiação, são eles; Antônio Petrone, Bolívar Roig, Glasso Costa, Belizário Azevedo, Ernani Porto,Felisberto Ribeiro, João José Roig, Oswaldo Otero, Vicente Ferrari e Vicente Pastore.
Labutaram muito para que o estádio do Liberal fosse construído no centro da cidade, já que o mesmo pertencia a herdeiros, e com um bom relacionamento conseguiram dos mesmos, concessão de suas heranças.
O tempo passou o estádio teve seus melhoramentos, desde 1933, passaram pela presidência vários outros nomes que levaram a agremiação ao patamar que hoje se encontra, sendo praticamente um patrimônio de São José do Norte.
Há foto nesta página publicada é do ano de 1959 sendo somente uma ilustração, pois pelo Liberal F.C. passaram vários atletas nortenses no auge da rivalidade com o Ferrari F.C. o Liberal começou a consolidar-se como uma das grandes equipes do futebol da zona sul do Estado do Rio Grande do Sul.


Pé na Bola.

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Foto de 1966. Matéria deste blogueiro

GRÊMIO ESTUDANTIL NORTENSE: Foto: 1966. Nesta época, nossas escolas escolhiam o Presidente da entidade estudantil ao qual nós estudantes tínhamos certos privilégios, pois com a carteira identidade da UGES (União Gaúcha dos Estudantes), pagava-se metade da passagem em transportes públicos, meias entradas em cinemas,etc.... Tudo isso graças à criação da Portaria n° 02419. A UGES foi criada em 1934 com propósito de exercer atividades esportivas, políticas dentre outras, pois na época do regime militar censuravam qualquer ato que fosse de encontro as suas convicções e a Polícia Federal fiscalizava os atos, as reuniões estudantis e considerava os estudantes de ala esquerda, segundo os militares, pois muitos se manifestavam politicamente contrários ao regime implantado no País, mas nem todo estudante era contra o regime e conviveu bem com a ditadura, mas a maioria lutava pela democracia. Em pé. Wilson Fonseca, Loureno Patore, Mozinho, Jurandir Farias, Darli Pereira e Inis Pontes. Agachados. Paulinho Silva, Zé Renato Ferrari, Ademir Maio, José Adilson Pontes e Vitor Hugo da Silva. Pé na Bola.

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Arbitros, Auxiliares - Infrações no CBJD pena para os mesmo.


Praça neutra.Obvio com entrada Franca porque os desportistas e torcedores já pagaram.
O ingresso para assistir o espetáculo.
Já aconteceu no nosso campeonato amador de São José do Norte
até porque não sei porque razão do termino do jogo
Suscito a dúvida: a partida "PODERÁ" ser anulada tão somente se comprovado
o erro de direito ou este ainda tem que implicar diretamente no resultado
da partida?????? Isto é, comprovado o erro de direito, mas não tendo este
sim poderá/terá que ser anulada?
influenciado SUBSTANCIALMENTE para o resultado do jogo, a partida ainda
O Código Brasileiro de Justiça Desportiva traz um capítulo todo dedicado ao árbitro de futebol. Até o momento, estavam-se discutindo alguns artigos que atribuíam alguma responsabilidade ao árbitro, fora do Capítulo V, que trata das infrações dos árbitros, auxiliares (assistentes) e delegados.
    O primeiro artigo desse capítulo é o 259, que estabelece uma suspensão de 30 (trinta) a 120 (cento e viste) dias e, na reincidência, suspensão de 120 (cento e vinte) a 240 (duzentos e quarenta) dias, para a equipe de arbitragem que deixar de observar as regras da modalidade. A aplicação desse artigo seria em decorrência de um erro de direito, já que o parágrafo único do artigo 259 descreve que a partida poderá ser anulada se ocorrer erro de direito (qualquer punição aplicada por um tribunal, em que não houvesse ocorrido erro de direito, e porque houve erro de interpretação, cabendo então ao diretor de árbitro tomar providências).
    A omissão do dever de prevenir ou de coibir violência ou animosidade entre os atletas, no curso da competição, será punida com suspensão de 60 (sessenta) a 180 (cento e oitenta) dias e, na reincidência, suspensão de 180 (cento e oitenta) a 360 (trezentos e sessenta) dias, segundo o artigo 260. Ao analisar esses dois últimos artigos, deslumbra a solução para o problema do sorteio para escalação dos árbitros, discutido quando da citação do artigo 31 do Estatuto de Defesa do Torcedor. Se o árbitro, segundo a imprensa, não está coibindo a violência, aplica de forma equivocada a regra do jogo, ele deve ser punido. Uma vez o árbitro despreparado suspenso (punido), os árbitros mais qualificados teriam a oportunidade de trabalhar mais.
    Não se apresentar devidamente uniformizado ou apresentar-se sem o material necessário ao desempenho das suas atribuições, segundo o artigo 261, acarretará pena de suspensão de 10 (dez) a 90 (noventa) dias.
    O artigo 262 estabelece que deixar de apresentar-se, sem justo motivo, no local destinado à realização da partida, com a antecedência mínima exigida no regulamento para o início da competição, tem como pena uma multa de até 5.000.00 (cinco mil reais). E o artigo 263 descreve que deixar de comunicar à autoridade competente, em tempo oportuno, que não se encontra em condição de exercer suas atribuições, provoca suspensão de 10 (dez) a 90 (noventa) dias.
    Não conferir documento de identificação das pessoas físicas constantes da súmula ou equivalente tem prevista suspensão de 30 (trinta) a 90 (noventa) dias, de acordo com o artigo 264. Mas o parágrafo único desse artigo conclui que, quando da omissão resultar a anulação da partida ou desclassificação do atleta, a pena será de suspensão de 60 (sessenta) a 120 (cento vinte) dias. Muitos árbitros deixam para o quarto árbitro a missão de verificar a documentação de atletas e da equipe técnica, quando não, para o representante da federação. Tal ato não possui apoio legal, a não ser que esteja determinado no regulamento da competição. Na regra de futebol, a Internacional Football Association Board (2006) estabelece que entre as funções do quarto árbitro está a de “ajudar” o árbitro em todos os deveres administrativos, antes, durante e depois da partida, segundo a solicitação do árbitro. A obrigação de verificar a veracidade de quem está discriminado na súmula e do árbitro.
    O artigo 265 determina que deixar de entregar ao órgão competente, no prazo legal, os documentos da partida, regularmente preenchidos, é punido com suspensão de 30 (trinta) a 90 (noventa) dias. O Estatuto de Defesa do Torcedor, como analisado anteriormente, determina que a súmula deve ser entregue ao representante da federação ou confederação, quatro horas após o término da partida. Em casos excepcionais (tumulto, laudo médico) de acordo com o EDT, o relatório poderá ser complementado até vinte e quatro horas após seu término.
    Se o árbitro deixar de relatar as ocorrências disciplinares da partida ou fazê-lo de modo a impossibilitar ou dificultar a punição de infratores, deturpar os fatos ocorridos ou fazer constar fatos que não tenham presenciado, sofrerá pena de suspensão de 120 (cento e vinte) a 720 (setecentos e vinte) dias, segundo o artigo 266.
    O artigo 267 descreve que, se o árbitro deixar de solicitar às autoridades competentes as providências necessárias à segurança individual de atletas e auxiliares ou deixar de interromper a partida, caso venham a faltar essas garantias, terá suspensão de 60 (sessenta) a 180 (cento e oitenta) dias. Exemplos da falta de segurança nos campos de futebol do Brasil não faltam. Infelizmente, as providências só são tomadas após as tragédias, tendo em vista que um dos personagens do futebol não possuía qualquer direito, o torcedor. Em uma final do campeonato paulista, categoria júnior, os telespectadores puderam ver um torcedor ser ferido a pauladas na cabeça, o que posteriormente o levou à morte. O estádio do Pacaembu, onde estava ocorrendo a partida, encontrava-se em reforma, e o material de construção existente ali serviu de arma para os torcedores brigarem. Mas recentemente, na final da Copa João Havelange, a nação brasileira pôde acompanhar pela televisão mais uma demonstração da incapacidade dos cartolas em dar segurança ao torcedor. Aos vinte e três minutos do jogo entre Vasco da Gama versus São Caetano, o alambrado do estádio São Januário cedeu e o resultado foram 168 torcedores feridos. Após alguns minutos interrompida, segundo o árbitro Oscar Roberto Godói, o comandante do policiamento havia autorizado o reinício da partida, mas antes que a partida fosse reiniciada, o então governador do Rio de Janeiro, Anthony Garotinho, mandou suspender a partida. Com a suspensão da partida, o povo brasileiro pôde ver, inúmeras vezes, na televisão, o descaso do dirigente futebolístico com as autoridades desse país. O presidente do Vasco da Gama xingou o governador, dizendo que ele era “um incompetente e frouxo” (CÔRTES et. al., 2001). Em uma situação como essa, o árbitro deve se precaver, quando estiver falando com o comandante do policiamento, médico etc., deve procurar estar com seus assistentes e fazer uma declaração, para posteriormente não ser chamado de autoritário, mentiroso ou ser punido por omissão.
    O artigo 268 determina que, dar início à partida ou não interrompê-la quando, no local exclusivo destinado a sua prática, houver quaisquer pessoas que não as previstas nas regras do futebol, regulamento ou normas da competição, acarreta pena de suspensão de 120 (cento e vinte) a 360 (trezentos e sessenta) dias. Mas o parágrafo único desse artigo completa, afirmando que, quando da infração resultarem ocorrências graves, a pena será de suspensão de 1 (um) a 2 (dois) anos. Portanto, o árbitro deve prestar atenção nas pessoas que estão em volta do campo de jogo. Mandar que se retirem ou que as retirem, se for o caso. Não dar início ao jogo antes que suas ordens sejam cumpridas. Muitas vezes, ouvimos a imprensa dizendo que o árbitro está preocupando-se com muitas coisas, que ele deveria cuidar mais do jogo. Isso não é verdade, o árbitro tem autoridade para começar o jogo, somente no momento em que se certificar de que a situação está conforme regras do jogo. Se o jogo não começar no horário determinado, ele deverá relatar na súmula os motivos, não se omitindo para agradar interesses de terceiros, que não responderão, caso alguma coisa dê errado, pela omissão do árbitro.
    Recusar-se, injustificadamente, a iniciar a partida ou abandoná-la, antes do seu término, prevê pena de suspensão de 60 (sessenta) a 180 (cento e oitenta) dias, de acordo com o artigo 269. Como comentado anteriormente, o árbitro deve-se munir do máximo de provas, quando vai interromper uma partida. Não deve esquecer que existem muitos interesses no futebol e, uma atitude equivocada, sem argumentos (provas), pode-lhe custar alguns meses sem arbitrar.
    Os quatro últimos artigos do Capítulo V atingem diretamente, não apenas os árbitros e os assistentes, mas também atinge os representantes e os delegados das confederações.
    O artigo 270 esclarece que dar publicidade a documento, sem que esteja autorizado, tem pena prevista de suspensão de 30 (trinta) a 90 (noventa) dias. Já o artigo 271 afirma que se manifestar, publicamente, de forma desrespeitosa ou ofensiva sobre a atuação dos árbitros ou assistentes, bem como sobre o desempenho de atletas e equipes, causa suspensão de 60 (sessenta) a 120 (cento e vinte) dias. O árbitro não deve esquecer que a prática de ofensas pelos dirigente ou pela equipe técnica também acarreta punição, de acordo com o artigo 188, sendo agravada, caso a ofensa ocorra por meio da imprensa, segundo o parágrafo único do artigo 188, como discutido anteriormente.
    Assumir, em praça desportiva, antes durante ou depois da partida, atitude contrária à disciplina ou a moral desportiva, terá suspensão de 60 (sessenta) a 120 (cento e viste) dias, segundo o artigo 272. Já praticar atos com excesso ou abuso de autoridade, provoca suspensão de 60 (sessenta) a 180 (cento e oitenta) dias, de acordo com o artigo 273.
    A última alusão à arbitragem ocorre no Capítulo VI, que trata das Infrações em geral. O artigo 274 determina que, se alguém invadir o local destinado à equipe de arbitragem ou à partida, durante sua realização, inclusive em intervalo regulamentar, sem a necessária autorização, terá suspensão de 120 (cento e vinte) a 720 (setecentos e vinte) dias. Muitas vezes o dirigente ou membro da equipe técnica expulsos ficam fora do alambrado ou no vestiário; no intervalo da partida eles entram no campo para ofender ou tirar satisfação do árbitro ou de seus assistentes. Essas pessoas devem ser relatadas, indiferentemente se já foram relatadas por outro motivo, para que a justiça desportiva tome providências.

                                  Pé na bola

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Qual a Função do Vice Prefeito. Mas isto não acontece.


Muitos pensam em entrar na carreira política, mas será que essas pessoas entendem quais as funções de cada um dos cargos para os quais estão se candidatando?
Um dos cargos que mais gera dúvida é o de vice-prefeito. Esse político é o substituto do prefeito, na hierarquia do Executivo municipal. Em casos como exoneração, cassação do mandato ou ausência do prefeito, o vice-prefeito deverá assumir as suas atribuições em seu lugar.
Durante o pleno exercício do prefeito, o vice-prefeito fica responsável por tarefas administrativas de auxílio. O prefeito pode delegar funções e responsabilidades para essa pessoa, desde que esteja dentro da descrição inicial do cargo.
Não é exigida nenhuma formação específica para se tornar vice-prefeito. A única exigência é a filiação a um partido devidamente regularizado para que essa pessoa se candidate, como acontece com todos os candidatos a algum cargo político. Em alguns partidos é exigido o pagamento de uma taxa, mas existem partidos que dão suporte financeiro para publicidade de seus candidatos sem cobrança alguma.
Cada cidade possui um salário específico para o cargo de vice-prefeito, mas a média salarial é de 5 mil. Como essa pessoa é a substituta do prefeito, o salário é igual ou equivalente, dependendo da cidade. O que mais chama atenção nesse cargo é a visibilidade e o frequente aumento salarial a cada ano.

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Qual a função do Vereador.....................................





Amigo chei










Fui obrigado a presenciar, um ato de hipocrisia sem tamanho, o que me deixa muito magoado, visto que como cidadão nortense quero que meu povo viva dignamente em uma tríade bio-psico-social. Mas o que eu presenciei? Vou lhes contar... Presenciei um ataque ao meu partido, totalmente imoral e sem nexo, no qual um Vereador, usa a própria filha, que devo lembrar é menor de idade, dizendo que a mesma ouviu na escola um membro do PT jovem falando sobre a liberação da maconha. Devo lembrar ao nobre Vereador um dos princípios base da política que ele não deve ter conhecimento “Liberdade de Expressão”. Não digo que sou a favor ou contra este tema, porém sabemos que existem prós e contras, e é interessante saber que a juventude está a par e se manifesta, enganchando em uma trajetória política. Agora ao caro Vereador, este foi o motivo para atacar o partido dos trabalhadores? Preconceito, e falta de conhecimento a respeito da liberdade de expressão é o que está estampado na sua cara!
Voltando as funções dos vereadores, assim como a cima descrevi, e me recordo uma delas é fiscalizar o ato do Executivo Municipal (Prefeito) com relação à administração e gastos do orçamento. Acho que chegamos ao ponto! O caro colega ocupa seu tempo com picuinhas, e se mostra antiético, não tendo nenhum comprometimento com seu trabalho. A propósito deveria ocupar seu tempo tentando explicar, porque ainda não estão sendo executadas as obras de infra-estrutura para a cidade se é sabido de grandes verbas estaduais e federais. 
Devo agradecer aos demais vereadores que estavam ali presentes, e divergem de idéias tão mesquinhas, tendo o senso crítico e o profissionalismo que se deve ter para ser político e sobre tudo vereador. A política é uma dádiva, a partir da qual podemos condicionar uma vida melhor para as pessoas, mas para isso precisamos de pessoas sérias, com comprometimento, que tornem a câmara de vereadores um local de trabalho e não um local para ataques sem sentido e fofocas entre partidos




Autor da Matéria Dr: Gilmar Carteri

                                          Pé na bola.