terça-feira, 27 de setembro de 2016

O silêncio em carne viva........... confira e leia.

Ouço vozes que passaram. Juntas, faziam barulho pelos corredores e hoje fazem apenas falta. O som é engraçado. Em excesso, inquieta, mexe na melodia tranquila e descompassa o peito com gritos e ruídos. O vazio, não, o nada é o silêncio em cores fortes, em carne viva. A ausência de música ou apenas o som mudo, calado, acorda o desatino que gerou a revolta. Ciclo em desarmonia.  

Queria lembrar o estampido da última palavra. Apertei o gatilho e virei o rosto, livre da culpa e de qualquer propósito. Só não enganei a mim mesmo. O silêncio faz quase sempre tocar o alarme e alastra o som da minha fúria. Posso ouvi-lo com dificuldades, com dentes apertados e chuva no rosto. Silêncio, silêncio... Queria fazer dele canção. Mesmo que fosse triste, que desorganizasse o dia e ferisse a madrugada à faca. Lâmina afiada pela língua. Músicas que ouvimos para incitar a tormenta e forçar a passagem.


Nem isso. O silêncio não escreve letras nem compõe ao piano. Sei que passa devagar, às vezes calmo, resistindo a tudo o que não for vivo, teimando contra tudo o que for novo. Tem acordo claro com o passado e chega, às vezes violento, para despertar cenas desgastadas, fotos descoloridas pelo excesso de luz.

Bati a porta, e não ouvi o ruído. Imagino como Beethoven compôs a nona. Aprendeu as notas quando criança. Sabia lhes dirigir a palavra, encaixar os sustenidos. Por sorte, havia resposta. Sempre há resposta na arte. Insistia em ouvi-la para libertar a tempestade que o afogava por dentro. Um dia, finalizou a composição. Continuou preso ao silêncio ritmado, insistente, mas renovou a música com o som de tanta dor contida. Encantou as plateias ao redor do tempo.

Bobagem a minha pensar no compositor. Era Beethoven, um escolhido entre tantos gênios para transformar o silêncio em sinfonia. Eu, não, não (...) Nem instrumento sou capaz de domar. Procuro frases que encarcerem tanto silêncio livre e lá está ele, mudo, em destaque, no último parágrafo sem inspiração. Tornou-se até repetitivo, como este caminho estreito pelas ruas que levam ao mar. Continuo. Nem bem sei o motivo, mas sigo caminhando pela noite. Madrugada sob censura.





Descanso um pouco. Passei por tantos silêncios que a roupa está mais pesada. É difícil até carregá-la. Cena em sequência. Estou agora sentado, descalço, com os pés presos à areia fria. Em silêncio, vejo as ondas mais fortes tentando se rebelar contra a praia frágil. Luta desigual. A lua aguça a maré, exige força no movimento da água e estampa sua luz fria no lado triste do meu rosto. Cicatriz branca, aberta à faca pela noite.

Pensei em gritar para amordaçar, enfim, o silêncio. O difícil é escolher a palavra certa, talvez um nome. Talvez. Um grito qualquer, sem letras bem escolhidas, tonteia o silêncio, não o oprime. Apenas a palavra perfeita, bem colocada, pode dar fim ao tormento insistente e fazer ressurgir o diálogo. Não tenho muitas escolhas: poderia ser comigo mesmo. Responderia a mim com um sorriso no rosto. Talvez o primeiro, talvez o último. Sem orgulho, preciso confabular com o silêncio e encontrar uma saída digna para a minha voz em desuso.

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Como e bom , falar o que se sente perante as pessoas, em primeiro lugar a verdade.

Bom dia a todos Que de vez e conta dão uma visualizada no blog de joaowaldirpenabola.blogspot.com. Que Deus os abençoe a todos neste meio de semana.




Você está a bordo de um novo dia.

Diga: bom dia, dia!
Bom dia, vida!
Bom dia, sensibilidade!
Bom dia, fé!
Bom dia, coragem!
Bom dia, talento!
Bom dia, trabalho!
Bom dia, alegria!
Bom dia, felicidade!
Bom dia pra você!

Tem muita coisa boa para você aproveitar.
Há sensações que vem de dentro e que precisam ser colocadas para fora.
Há sensações que vem de fora que precisam ser interiorizadas.

Esteja aberto e pronto para emitir sinais. E também para captar o que está no ar.
Se o caminho que você planejou é muito longo, não se desespere com a distância que ainda falta para chegar.
Concentre-se no próximo passo. Ou mesmo no primeiro passo.

Hoje você pode começar algo novo que vai levá-lo muito longe.
Inicie algo hoje nem que seja uma mudança.
Se você resiste a mudanças tenha ao menos desculpas novas para dar pelo que você deixa de fazer.

Tenha atitudes simples, mas honestas.
O início de qualquer coisa nova para sua evolução, pessoal, espiritual ou profissional, começa aí dentro de você, silenciosamente, enquanto organiza seus pensamentos para mais um dia.
Está no ar uma nova manhã... Um novo dia... Uma nova semana


                   Mensagem- Pé na bola

sábado, 24 de setembro de 2016

Depois de tanta transferência domingo dia 25.09.2016. Teremos a 1ª Rodada do segundo Turno do Nortense.



           Campeonato Nortense de Futebol teve o jogo inaugural domingo dia 07.08.2016.

O jogo escolhido foi Beira - Mar e Olaria. Onde teve obvio a presença de autoridades do Município
 de nossa "Mui heroica vila" O mesmo tbm teve a presença dos Pré candidatos a Vereança e Prefeito 
de São José do Norte. Espero ser um campeonato para ois desportista e que não usem politica, que seja um campeonato onde as regras sejam respeitada, e punirem a quem dela for julgada por não cumpri-la.   
 O jogo teve como resultado.

Beira -Mar    3   x    0    Olaria

 Mais tarde estarei postando a tabela da rodada de Domingo

Próximos jogos no dia 14.08.2016

Liberal     1    x   3   Cocuruto

Varzense  1    x   3    Bonsucesso

Oriente    2     x   0   Passinho

Fortaleza 3     x   0     Ari Barroso

Guarani   0     x   2      Bojuru

 
    x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.xx
19.08.2016
2ª Rodada

Olaria            2    x    3          Liberal
Cocuruto       3    x.   2          Beira-Mar. Este jogo foi realizado dia 28.08.
Passinho        1    x    0         Varzense
Bonsucesso  0     x     0         Oriente
Bojuru          0     x     1          Fortaleza
Ari Barroso  1     x    8          Guarani
x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.xx.x.x.x
3ª Rodada 26.08.2016. OU seja seria nessa data.
Liberal         4         x   0         Beira-Mar
Cocuruto      6         x   1         Olaria
Passinho       1         x   1         Bonsucesso            Esta Rodada está difícil de ser realizada.
Oriente         4         x   0          Varzense
Bojuru         12        x   0          Ari Barroso
Guarani         2        x   1          Fortaleza    
04.09.2016                                                         Transferido
11. 09.2016                                                         Novamente transferido


x,x,x,x,x,x,x,x,x,x,x,x,x,x,x,x,x,x,x,x,x,x,x,x,x,x,x
1ª Rodada do 2º Turno do Campeonato. dia 25.09.2016
Beira-Mar      0       x   3       Liberal
Olaria             1        x  3      Cocuruto
Bonsucesso    2       x   1      Passinho
Ari Barroso    2       x   0      Bojuru
Fortaleza        2       x   1      Guarani
Varzense        0       x   4      Oriente

Pé na bola

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Foto de algumas Jornadas esportivas deste blogueiro. e fazendo programa de Radio


Fotos do Programa Opinião e das jornadas esportivas do campeonato amador de São José do Norte de 2009-2010-2011-. Pena que este ano não podemos ativar a equipe que transmitia esse campeonato que é uns dos melhores da Zona Sul e a emissora por se tratar de um ano político não quis assumir a responsabilidade , por fatos alheios a nossa vontade, mas mesmo assim como blogueiro continuo informando os desportistas os resultados a cada Rodada do Certame Nortense do meu blogspot. joaowaldirpenabola.blogspot.com










quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Prédios Históricos de São José do Norte - RS - Cidade com muita história na guerra dos Farrapos.


Sobrado Chaffic
Data da Construção: 1816.
Localização: Rua Marechal Deodoro n°. 295.
Primeiros moradores: Domingos da Silva e Moreira Azevedo
Atividade atual: loja e residência

Histórico:

Na parte externa o prédio funcionou uma Agência da Alfândega e mais tarde a Exatoria Estadual. No local também funcionou o Ginásio de São José do Norte. A família Azevedo criava um menino de nome Deolindo. Um certo dia, o menino estava na janela quando uma rajada de vento jogou seu chapéu para a rua e como havia dunas de areia muito altas na Cidade e por estar com preguiça de descer as escadas, jogou-se de onde estava caindo nas dunas sem se machucar. Outro fato interessante aconteceu em 1876 quando a família participava de um ato religioso. Alguns vereadores ficaram em casa em companhia do proprietário, sendo servidos por uma mucama da família. Por se tratar de moça bonita e vistosa, despertou cobiça dos parlamentares . Para agradar seus convidados  e após ingerirem algumas taças de vinho, o anfitrião ordenou que a mesma tirasse suas vestes e dançasse sobre a chapa quente do fogão. Obedecendo a ordem, mas não suportando a humilhação, jogou-se pela janela , morrendo logo após em consequência da queda. Ao longo dos anos funcionou neste prédio a agência da Alfândega e a Exatoria Estadual. Mais tarde o senhor Shaffic estabeleceu-se com comércio de rádios, baterias, aerodínamos e outros. Por algum tempo foi instalada a Escola Estadual, curso ginasial, enquanto se providenciava a construção do novo prédio, isto de 1969 a 1973, aproximadamente.    

Solar dos Imperadores
Data de Construção: 1800
 Localização: Rua Gel. Bento Gonçalves da Silva 153.
Atividade atual: Moradia, em parte.

Histórico

Considerada na época a maior mansão colonial do Município, hospedou dois Imperadores; em 1826, Dom Pedro I quando em visita a Província, e em 1845, o Imperador Dom Pedro II e a Imperatriz Dona Tereza Cristina, acompanhados de destacada comitiva, desejosos de conhecer a Vila que foi capaz de resistir a invasão Farroupilha, oportunidade na qual Dom Pedro II oficializou o título de " MUI HERÓICA VILLA", distinção conferida apenas às guarnições que demonstravam fidelidade à Coroa Imperial defendendo-a a qualquer preço.

Frigoria
Data de Construção: 1849
Localização: Rua General Bento Gonçalves da Silva 23/29
Histórico

Situada na Rua Bento Gonçalves a Frigoria ( Indústria de Comércio do Frio S/A), foi construída para servir como a mais importante alfândega do Rio Grande do Sul, ficando a ela subordinadas as alfândegas de Rio Grande e de Porto Alegre, isso em 1849, época em que esta era a quarta do Império em rendimentos.

Sobrado Gibbon
Data de Construção: Anterior a 1900
Localização: Rua General Osório nº.134
Atividade Atual: Em processo para restauração.

Histórico:



Casa de residência e comércio, situada na Rua General Osório, 134 esquina com a Rua Júlio de Castilhos, teve sua construção anterior a 1900, com alterações nas portas, janelas, reboco e pinturas ao longo dos anos.
Em doze de fevereiro de 1901 o Prédio sofreu um incêndio no térreo, após foram feitas reformas que não modificaram a fachada do mesmo. Em 1931 houve um novo incêndio na parte superior , quando funcionava o Hotel Amaral , mas não afetou o aspecto da construção.
O Prédio foi comprado pelo Município e aguarda restauração a fim de instalar setores da Secretaria Municipal de Educação e Cultura.
Casa Castro
Data de Construção: 1840
Localização: Rua General Osório nº 61
Atividade Atual: Ministério Publico Estadual

Histórico:



Foi moradia, Hotel Beira-Mar, Hotel São José, Clube Liberal Lions Clube, Açougue e farmácia.
Hoje funciona no local a Promotoria de Justiça do Município.


PÉ NA BOLA


quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Quero agradecer este grande Profissional, por divulgar o blogspot joaowaldirpenabola.blogspot.com.

São José do Norte, o blogspot de informações. dos acontecimentos do nosso cotidiano: Miro Super Star São José do Norte, o blogspot de informações. dos acontecimentos do nosso cotidiano: Miro Super Star: Quero agradecer a este magnífico profissional pela força que tem dado para que este blog possa ser acessado constantemente. Um grande abra...

sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Geografia de SJNorte




                                           Nossa linda Praia do Mar Grosso

O município, localizado em uma península, é banhado ao sul pelo estuário da Lagoa dos Patos (conhecido popularmente como Canal da Barra), ao oeste pela Lagoa dos Patos e ao leste pelo Oceano Atlântico. Praia do Mar Grosso É uma cidade litorânea, com mais de 100 km de praias na costa do Oceano Atlântico. A maior parte do município é composta por campos, com vegetação rasteira e herbácea da costa do litoral do sul do Brasil. Também há pequenos bosques com árvores plantadas (eucaliptos e pinhos). Dunas de areia relativamente altas são encontradas em toda a área municipal. Está localizado dentro da Planície Litorânea a qual se estende por toda costa Leste do Brasil. Essa restinga é uma alongada faixa arenosa, estendendo-se de Torres até o limite do Canal do Rio Grande. É dominado pelas areias lagunares-marinhas em formação de Dunas. Em alguns trechos, como na Ponta Rasa, há algumas formações de areia misturadas com partículas de argila vermelha, que o vento trouxe dos barranc

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Comentários sobre a Matéria escrita por joaowaldirpenabola.blogspot.com. Depressão.........








Postar um comentário em: joaowaldirpenabola.blogspot.com


1 – 4 de 4
Blogger João Pereira dos Santos disse...
É verdade xará. Precisamos ser empático quanto ao sofrimento alheio, e não ficarmos na indiferença, muitas vezes julgando as pessoas por sua aparência sem procurar saber a causa que as leva a ser como são. Abraço.
4 de outubro de 2011 17:43
 Excluir
Blogger SONIA GAUCHINHA disse...
LEGAL ADOREI
6 de outubro de 2011 04:41
 Excluir
Blogger SONIA GAUCHINHA disse...
INTERESSANTE A MATÉRIA ADOREI
6 de outubro de 2011 04:42
 Excluir
Blogger Bibliotecária - Sueli disse...
Olá,
concordo quando cita, logo no início do texto, que a depressão é uma doença, porém cabe ressaltar que todos sofrem. Sofre o doente e todas as pessoas que o cercam, pois não sabemos como ajudar e na maioria das vezes, na tentativa de melhorar o problema, acabamos discriminando o doente.
Gosto de enfatizar que a depressão é como o alcoolismo, por falta de informações, tecemos julgamentos, deixando-nos levar por preconceitos que rotulam as pessoas com os piores e mais diversos predicados e adjetivos.
Não podemos esquecer que, tanto a depressão como o alcoolismo é sinônimo de DOENÇA e o quanto antes for encarado como tal, pelo paciente, familiares e a sociedade, mais rápido é a chance de êxito na cura.
O essencial é nos desprovermos de todos os tipos de preconceitos e RESPEITAR o outro como ele é e como gostaríamos de ser respeitados.
Um abraço a todos

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

Depressão. Matéria deste blogueiro





Depressão é uma doença dolorida para quem sofre, pois não deixa transparecer para os outros. 
O Depressivo carrega consigo a dor, o vazio e os medos. Quando ouço alguém sem conhecimento sobre o assunto emitir opinião sem saber a causa que leva a pessoa depressiva à não querer buscar ajuda, omitir-se em certas ocasiões, deveriam analisar que não é porque não quer e sim porque não consegue, o desânimo é o alimento básico desta doença, infelizmente adormenta o depressivo e os que estão envolvidos, ou melhor, convivem com o mesmo.

As pessoas depressivas são vistas como malandros, irresponsáveis, não gostam de assumir compromissos, este é o conceito de quem e leigo. Ninguém pensa que os mesmos são sempre é serão escravos de antidepressivos e tarjas pretas.

Quando somos jovens levamos a vida com ou sem dor, pois ainda temos um pouco de gás para lutar, até porque em casa há pessoas esperando por nós, depressivos. Para levarmos o sustento, mas de repente à idade chega e com ela o cansaço, a falta de oportunidade, a desesperança, falta de perspectiva, auto estima lá no último grau.
O depressivo tem que viver em eterna vigilância de seu médico que apesar do avanço tecnológico ainda na descobriram aquela fórmula “mágica” para acabar, mas poderia pelo menos amenizar esta dor inexorável, angústia, pesadelos, medo de morrer, do silêncio, do apagar as luzes... Assim é a vida de um depressivo, o resto é conto de fadas de alguém que nunca sofreu na pele esta maldita moléstia.


Pé na bola.

terça-feira, 13 de setembro de 2016

Vejam Só. enquete para ver o vestuário de um Vereador???????


Interativa


Vimos e ouvimos nos telejornais da RBS TV a preocupação de uma enquete com o povo nas ruas, para saber se os vereadores devem ou não usar terno e gravata em Sessões da Câmara. Ora, vejam se a roupa ou a imagem mudará o comportamento de um político. Até parece que eles com uma roupa mais alinhada mudarão seus hábitos, atitudes, pois se olharmos o que está acontecendo em nosso País, o terno e a gravata serão besteira muito insignificante. Nós o povo na acepção da palavra, somos um pouco politizados e a roupa não deve nem pode ser objeto e nem sobrepor o tipo de político que nós gostaríamos que eles fossem, pois penso que eles têm muito que aprender com o povo e saber escutar aquelas pessoas que vivem em estado de miserabilidade e tentar colocar-se no lugar de outro para ver, ouvir e sentir exatamente como eles vivem.
É preciso despertar para as reais necessidades do tempo em que vivemos, pois o povo já não agüenta mais estes políticos profissionais que só falam em milhões como se fosse normal, chega de corrupção, pois o povo já sacou que não planeja nada para modificar este quadro que parece não interessar aos políticos, pois se fizerem perderão seus currais eleitorais, como dizem no Norte do País, onde os coronéis usam e abusam desses poderes que o povo os delega.
Vamos nos instruir para dar a resposta no dia de cumprirmos com nosso direito de cidadania. Espero que a corrupção cantada aos quatro cantos não aconteça em âmbito municipal e fiquem em nível Federal, porque não dá para ver todos os dias as fraudes aparecendo nos noticiários, de empresa pública e privada que se unem para nos surrupiar.
Nosso País mesmo sendo subdesenvolvido é muito rico, e já não suporta tantas CPIs, que resultam em muito pouco, pois até que se encontrem os culpados eles (Políticos), renunciam seus mandatos e recebem de presente aposentadorias polpudas, mas infelizmente este é o quadro que vem ocorrendo, cada um por si e ninguém por todos, ainda querem saber em interativa que roupa devem usar, isto é, estar brincando para desviar a atenção a respeito de informar, pois a corrupção neste País oferece um terreno tão fértil que impede o pleno direito de cidadania.
A sociedade deve ficar mais atenta aos desmandos públicos em nosso País, pois o Pé na Bola espera que um dia surja um novo sistema de governar, onde não tenha corrupção, discriminação e que haja uma distribuição de renda mais digna para que o povo não venha mendigar.
Será que estou sendo otimista ou simplesmente isto que eu penso é utopia?


PÉ NA BOLA.

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Guerra dos Farrapos no Sul do País. Com grande participação de São José do Norte-Rs Fotos histórica de nossa "Mui heroica vila"


Faról da Barra

Solar dos Imperadores

Molhe Leste

Vista do Mar ao fundo Matriz São José

Por do Sol de São José do Norte

Prédio da Itendencia

Noiva do Mar

Garibaldi

A origem do nome da cidade de São José do Norte apresenta duas versões:

Aprimeira versão surgiu em virtude da crendice de que os primeiros habitantes da região depositavam crença em São José e que os historiadores acrescentaram o restante do nome, "do Norte", porque era o Município que ficava ao norte do Município de Rio Grande.
A segunda versão conta que o nome "São José" era em homenagem ao rei do Portugal, D. José I. Na noite de 6 de julho de 1767, as tropas portuguesas, após violentos combates, expulsaram os espanhóis que haviam dominado o território e novamente nossas terras ficam sob o domínio de Portugal. Volta a ser hasteada a bandeira lusa e por ser o aniversário do rei D. José I, nosso Município, até então chamado de Norte, Arraial do Norte e Povo do Norte, recebeu o nome de São José do Norte.

Participação de São José do Norte na Revolução Farroupilha
Em 1836, a Vila de São José do Norte foi sitiada pelas tropas revolucionárias do Coronel Onofre Pires da Silveira Canto. Na Estância Real de Bujuru, essas tropas se abasteceram dos gados preciosos para sua manutenção, assim como em 1840 quando foi novamente sitiada pelos Farroupilhas, sob o comando do General Bento Gonçalves da Silva.
A batalha decisiva deu-se na madrugada de 15 para 16 de julho de 1840, quando as tropas imperiais comandadas pelo mostardeiro Coronel Antônio Soares de Paiva, travam luta contra as tropas farroupilhas comandadas diretamente pelo General Bento Gonçalves de Silva e José Garibaldi. Os combates tiveram início nos arredores da então Vila de São José do Norte, na madrugada do dia 16 de julho, cujo local era considerado ponto estratégico para as tropas que conseguisse a vitória e, conseqüentemente, pudesse se apossar do porto de mar que dominava a barra do Rio Grande. As trincheiras naturais da região que eram oferecidas pelos cômoros de areia favoreceram a posse do porto.
Depois de terem as tropas invasoras dominado praticamente a Vila, houve uma reação violenta por parte do Coronel Antônio Soares de Paiva, que havia recebido reforços do Rio Grande através de dois lanchões postados no canal. Com esses lanchões atacavam os farroupilhas aliados aos combates em terra.
Eram então nove horas da manhã quando Bento Gonçalves, que tomava a vila com cerca de 1200 homens contra 600 e que, ao final já estava enfrentando uma força numérica superior, determinou a retirada.
Os farrapos retiraram-se definitivamente, vendo frustradas todas as suas tentativas de conquista deste posto avançado, que no momento, representava a defesa do Império Brasileiro.

Garibaldi
Em 24 de janeiro de 1837, Guiseppe Garibaldi saiu da prisão onde fora visitar Bento Gonçalves carregando uma carta de corso que lhe dava o direito de apresar navios em nome da República Rio-Grandense, destinando metade do valor da carga para o governo da República. Ainda no Rio, ele toma o navio "Luiza", rebatizando-o de "Farroupilha". É o primeiro barco da armada Rio-Grandense. Depois de muitas aventuras (prisão no Uruguai, tortura em Buenos Aires), Garibaldi apresenta-se em Piratini em fins de 1837. Ao chegar à capital farroupilha, ele recebe uma missão: construir barcos e fazer corso contra navios do império. Dois meses depois, ele apresenta dois lanchões: o "Rio Pardo" e o "Independência". Mas havia um grande problema: a ausência de portos. Com Rio Grande e São José do Norte ocupadas pelo inimigo, e Montevidéu pressionada pelo governo imperial, os farrapos planejam a tomada de Laguna, em Santa Catarina. A idéia era um ataque simultâneo por mar e por terra. Mas como sair da Lagoa dos Patos? John Grenfell atacou o estaleiro farrapo, mas Garibaldi escapou com os Lanchões "Farroupilha" e "Seival" pelo rio Capivari, a nordeste da Lagoa. Daí resultou o mais fantástico acontecimento da guerra, e talvez um dos lances de combate mais geniais da história.
Foram postas gigantescas rodas nos barcos, e eles foram transportados por terra, levados por juntas de bois, até Tramandaí, a aproximadamente 80km do ponto de partida. O transporte foi feito através de campos enlameados pelas chuvas de inverno.
O ataque é feito de surpresa, com Davi Canabarro por terra e Garibaldi a bordo do "Seival" (o Farroupilha naufragou em Araranguá-SC) e resulta na conquista da cidade e na apreensão de 14 navios mercantes, que são somados ao "Seival", e armas, canhões e fardamentos. Em 29 de julho de 1839 é proclamada a República Juliana, instalada em um casarão da cidade. Mas o sonho durou apenas quatro meses. Com a vitória de Laguna, os farrapos resolveram tentar a conquista de Desterro, na ilha de Santa Catarina. Mas são surpreendidos em plena concentração e batem em retirada, com pesadas perdas materiais. Os navios de corso, contudo, vão mais longe.O "Seival", o "Caçapava" e o novo "Rio Pardo" vão até Santos, no litoral paulista. Encontrando forças superiores, voltam para Imbituba-SC.

Declínio
Em 1840 começou a decadência da revolução. Enquanto a maioria das forças rio-grandenses se concentrava no sítio a Porto Alegre, a capital, Caçapava, era atacada de surpresa. Os líderes farrapos consideravam Caçapava quase inexpugnável, em virtude do difícil acesso à cidade. A partir daí, os arquivos da República foram colocados em carretas de bois pelas estradas. Foi o tempo da "República andarilha", até que Alegrete foi escolhida como nova capital. Em Taquari, farroupilhas e imperiais travaram a maior batalha da guerra, com mais de dez mil homens envolvidos. Mas não teve resultados decisivos. São Gabriel foi perdida em junho, e alguns dias depois o General Netto só escapa do imperial Chico Pedro graças à sua destreza como cavaleiro. Em julho, novo fracasso farroupilha, desta vez em São José do Norte. Bento Gonçalves começa a pensar na pacificação. Em novembro é a vez de Viamão cair, morrendo no combate o italiano Luigi Rossetti, o criador do jornal "O Povo" órgão de imprensa oficial da república. Para piorar a situação, em janeiro de 1841, Bento Manoel discordou de algumas promoções de oficiais e abandonou definitivamente os farrapos.

sábado, 10 de setembro de 2016

A Fé Cristã Primitiva – Coletânea de sentenças Patrísticas




O que se tornou mais relativo em nossos dias do que a Fé Cristã? Infelizmente somos bombardeados diariamente com teorias e conjecturas diversas que provocam enorme confusão nos corações dos cristãos semeando “joio no meio do trigo” (São Mateus 13,25). Tornou-se latente a necessidade de algo que nos guie de volta às origens do cristianismo, algo que nos mostre qual o caminho a ser trilhado, uma vez que em meio a tantas opiniões nem sempre é fácil discernir entre o certo e o errado.
Pela sua proximidade com as raízes do Cristianismo, o pensamento dos Santos Padres é um porto seguro no qual se pode ancorar, tendo a certeza de estarmos em contato direto com a pura revelação de Deus. Estes grandes homens enfrentaram “lobos cruéis” (Atos 20,29) que tentavam destruir a obra de Cristo e mesmo assim souberam superar todas as adversidades de sua época.
Nesta excepcional obra, Carlos Martins Nabeto percorre com maestria os oito primeiros séculos da historia da Igreja – conhecido como período patrístico – fazendo uma pesquisa detalhada nas obras dos Santos Padres e trazendo ao leitor uma meticulosa coletânea de citações patrísticas até então sem precedentes na língua portuguesa.
Evágrio Pôntico (346-399) certa vez disse: «Quanto mais perto estiver de Deus, tanto melhor será o homem». Podemos dizer que este sempre foi o objetivo comum dos Santos Padres, ou seja, a defesa da Palavra de Deus confiada à Igreja, a objeção frontal às heresias e a consequente aproximação entre a criatura e o Criador.
Esta nova edição de “A Fé Cristã Primitiva” nos da todas as armas para também nós entrarmos nesta luta, defendendo a Palavra de Deus dos ataques heréticos. Roguemos a Deus para que juntamente com São Paulo possamos um dia dizer: “Combati o bom combate, terminei a minha corrida, conservei a fé.” (2 Timóteo 4,7). 

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Ganache com espetinho de frutas
















ingredientes 1/2 xícara de maionese 6 morangos inteiros 6 uvas tipo Itália inteiras 2 fatias médias de abacaxi cortadas em cubos médios 100g de chocolate ao leite 6 palitos de madeira pequenos para churrasco modo de preparo Espete um morango, uma uva e um cubo de abacaxi em cada palito Arrume em uma travessa pequena e reserve Em uma tigela, derreta o chocolate picado em banho-maria Retire do banho-maria e acrescente a maionese misturando delicadamente até ficar homogêneo e cremoso Coloque a mistura em uma tigela para fondue Sirva frio ou quente, mergulhando as frutas reservadas
     
                                                                 Pé na bola

quarta-feira, 7 de setembro de 2016

Isto foi inscrito em 2014 o que fizeram até hoje nada.Sessão de terapia.Perto de mim, homens como os mensaleiros amadores foram meros cleptomaníacos... Sou profissional e didático... Considero-me um técnico, um cientista da corrupção nacional...





                    Arnaldo Jabor.


terça-feira, maio 21, 2014


Sessão de terapia - ARNALDO JABOR

O GLOBO - 21/05




"Doutora, eu procurei a psicanálise porque tenho tido pesadelos:
sonho que morri assassinado por mim mesmo, que estou preso
 com traficantes estupradores.
Não mereço isso, eu, que sempre
 assumi minha condição de corrupto ativo e passivo
(Sem veadagem..., claro.) Não sou um ladrão de galinhas,
 mas já roubei galinhas do vizinho
 e até hoje sinto o cheiro das penosas que eu agarrava. 
Hahaha... Mas hoje em dia, 
doutora, não roubo mais por necessidade;
 é prazer mesmo.
Estou muito bem de vida, 
tenho sete fazendas reais e sete imaginárias, 
mando em cidades do Nordeste, 
tenho tudo, mas confesso que sou viciado na adrenalina
 que me arde no sangue na hora em que a mala preta
 voa em minha direção, 
cheia de dólares, vibro quando vejo os olhos covardes
 do empresário me pagando a propina,
suas mãos trêmulas me passando o tutu,
 delicio-me quando o juiz me dá ganho de causa,
ostentando honestidade e finge não perceber minha piscadela 
marota na hora da liminar comprada
 (está entre US$ 30 e US$ 50 mil hoje).
Como, doutora? Se me sinto
 "superior" assim? Bem, é verdade... 
Adoro a sensação de me sentir acima dos otários 
que me "compram" - 
eles se humilhando em vez de mim.
Roubar me liberta.
 Eu explico: roubar me tira do mundo dos "obedientes"
 e me faz 'excepcional'
 quando embolso uma bolada. Desculpe...,
 a senhora é mulher fina, coisa e tal, mas,
 adoro sentir o espanto de uma prostituta,
 quando eu lhe arrojo US$ 1.000 
sobre o corpo e vejo sua gratidão acesa,
 fazendo-a caprichar em carícias.
É uma delícia, doutora, rolar, nu, 
em cima de notas de US$ 100 na cama,
 de madrugada, sozinho, 
comendo chocolatinhos do frigobar
 de um hotel vagabundo, 
em uma cidade onde descolei
 a propina de um canal de esgoto superfaturado.
Gosto da doce
 volúpia de ostentar seriedade em salões de caretas
 que me xingam pelas costas, 
mas que me invejam pela liberdade cínica
 que imaginam me habitar. 
Suas mulheres me olham excitadas,
 pensando nos brilhantes 
que poderiam ganhar de mim, 
viril e sorridente - todo
 bom ladrão é simpático. 
A senhora não tem ideia aí,
 sentada nesta poltrona do Freud, 
do orgulho que sinto, 
até quando roubo verbas de remédios para criancinhas, 
ao dominar a vergonha e transformá-la na bela frieza
 que constrói o grande homem.
Sei muito bem os gestos rituais da malandragem brasileira:
 sei fazer imposturas, perfídias, tretas, sei usar falsas virtudes,
 ostentar dignidade em CPIs,
 dou beijos de Judas, levo desaforo para casa
 sim, sei dar abraços de tamanduá e chorar
 lágrimas de crocodilo...
Eu já declarei de testa alta na Câmara: 
"Não sei nem imagino como esses milhões de dólares
 apareceram 
em minha conta na Suíça, apesar desses extratos
 todos, pois não tenho nem nunca tive conta no exterior!".
Esse grau de mentira é tão íntegro
 que deixa de ser mentira e vira uma arte.
Doutora, no Brasil há dois tipos de ladrões 
de colarinho branco: 
há o ladrão "extensivo" e o "intensivo".
Não tolero os ladrões intensivos, 
os intempestivos sem classe...
 Falta-lhes elegância e "finesse".
 Roubam por rancor, roubam
 o que lhes aparece na frente
, se acham no direito de se vingar
 de passadas humilhações, dores de corno, porradas
 na cara não revidadas, 
suspiros de mãe lavadeira.
Eu, não. Eu sou cordial, 
um cavalheiro; tenho paciência e sabedoria,
comecei pouco a pouco, 
como as galinhas que roubei na infância,
 que de grão em grão enchiam o papo... 
Eu sou aquele que vai roubando
 ao longo da vida política e,
 ao fim de décadas, já tem "Renoirs"
 na parede, iates, helicópteros, esposa infeliz 
(não sei por que, se dou tudo a ela)
 e, infelizmente, filhos estroinas...
 (mandei estudarem na Suíça e não adiantou).
Eu adquiri uma respeitabilidade
 altaneira que confunde meus inimigos,
que ficam na dúvida se me detestam ou admiram.
 No fundo, eu me acho mesmo especial;
 não sou comum.
Perto de mim, homens como os mensaleiros
 amadores foram meros cleptomaníacos...
 Sou profissional e didático... 
Considero-me um técnico, um cientista
 da corrupção nacional...
Olhe para mim, doutora. Eu estou no lugar da verdade.
 Este país foi feito assim, na vala entre o público e o privado.
 Há uma grandeza insuspeitada na apropriação indébita,
 florescem ricos cogumelos na lama das 'maracutaias'.
Ouso mesmo dizer que estou até
 defendendo uma cultura! 
São séculos de hábitos e cacoetes sagrados
 que formam um país.
A senhora sabe o que
 é a beleza do clientelismo ibérico, 
onde um amigo vale mais que a dura impessoalidade
 de uma ética vitoriana?
A amizade é mais importante que esta bobagem
 de interesse nacional!
 O que meus inimigos chamam de
 irresponsabilidade e corrupção do Congresso
 é a resistência da originalidade brasileira,
 é a preservação 
generosa do imaginário nacional!
A bosta não produz flores magníficas?
O que vocês chamam de "roubalheira",
eu chamo de "progresso".
 Não o frio progresso anglo-saxônico,
 mas o doce e lento progresso 
português que formou nossa tolerância,
 nossa ambivalência entre o público e o privado.
Eu sempre fui muito feliz..
. Sempre adorei os jantares nordestinos,
 cheios de moquecas e sarapatéis, 
sempre amei as cotoveladas cúmplices
 quando se liberam verbas, 
os cálidos abraços de famílias de máfias rurais...
 A senhora me pergunta por que eu lhe procurei?
Tudo bem; vou contar.
Outro dia, um delegado 
que comprei me convidou para ver uma execução.
Topei, por curiosidade; 
podia ser uma experiência interessante
 na minha trajetória existencial.
Era um neguinho traficante
 que levaram para um terreno baldio,
 até meio pé de chinelo.
Ele implorava quando lhe
passaram o fio de nylon no pescoço e apertaram
devagar até ele cair estrangulado,
bem embaixo de uma placa de financiamento público.
Na hora, até me excitei; mas quando cheguei em casa,
com meus filhos vendo
High School Musical na TV, fui tomado
por este mal-estar que vocês chamam de 
                           sentimento de culpa"...
Por isso, doutora, preciso que a senhora me cure logo...
 Tem muita verba pública aí, muita emenda no orçamento,
 empreiteiros me ligando sem parar.
.. Tenho de continuar minha vida sem ter o minimo de culpa.